Páginas

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Lá fora

 Lá fora,

 O mundo espera coisas de mim,
 Esperam que eu faça algo,
 Esperam que eu diga algo,
 Esperam que eu seja algo,

 Uma coisa pré determinada,
 Que eu não sei se quero ser,

 Aqui dentro,

 Eu espero coisas de mim,
 Espero que eu faça algo,
 Espero que eu diga algo,
 Espero que eu seja algo,

 Qualquer coisa melhor do que eu,
 Melhor do que o que eu tenho oferecido,

 Lá fora ou aqui dentro,
 Há sempre expectativa corroendo,
 Demandas e demandas mais,
 Como os truques de alguns animais,

 Eu me exijo o que me exigem,
 E talvez exija mais,
 Comer dormir é só rotina,
 Ainda que sejam vitais,

 Treinados a querer cada vez mais,
 Programados para a infelicidade,
 Para a não realização das coisas,
 Para a auto destituição,

 Meu quarto me lembra,
 Que não sou quem quero,
 Se fugir pra rua,
 Vão querer de mim,

 Não sei mais onde esconder meu ego,
 Não tem como me esconder de mim.

sábado, 7 de setembro de 2013

Sentimentalismo racional

 Meu lado emocional quer curtir a vida, quase um bom vivant, atrás de alegrias, curtição, rock n roll, interação, noite, bebedeira talvez, algo mais pesado até, mais intenso. Mas meu lado emocional é um tolo, fraco, degradado pelo tempo e pelas experiências...

 É por isso que eu apelo ao racional, um cara calculista, frio, ora antipático, ora estúpido mesmo, por vezes até arrogante, mas é esse que tem força pra manter ambos de pé, e como um bom lado racional, reconhece que o emocional merece sua vez de brincar, libera pra festa, mas deixa bem claro, não passe das 22h...ele sempre passa, sempre se fode, lá vai o racional tentar consertar a merda feita...

 Meu lado emocional, sentimental na verdade (definição mais científica), é um fraco, merece ficar trancado num quarto, jogando videogame e esperando pela próxima vez que o racional tiver um tempo na agenda pra cuidá-lo no parque, com os coleguinhas. O triste é que, como toda mãe ou todo pai, o racional até tenta ser duro, rígido com a criança, mas é impossível controlá-los, porque não foram feitos para se controlar, foram feitos para saírem pelo mundo a descobrir coisas novas, aprender, criar, comunicar, quebrar a cara, voltar e então nos ensinarem a viver no mundo da vez.

 No fim, o racional depende da liberdade do emocional, e é por isso que ele tem as ferramentas para cuidar dele sempre que ele voltar abalado, destruído ou humilhado.

 Deixemo-nos quebrar a cara, deixemo-nos aprender com isso e vivamos cada dia com mais aceitação e menos censura.

 Bom dia à todos!

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Novidades no Blog da Editora Tardígrado!!!


 Clicando na imagem ao lado, você já estará fazendo download do Episódio 3 da série Anjos!!!

 Você poderá encontrar os primeiros episódios no Site da Editora Tardígrado.

 Até mais!